Cães
Gatos
Aves
Outros

 

Google
 

STAFFORDSHIRE É IGUAL A PIT BULL?

 

O American Staffordshire Terrier e o American Pit Bull Terrier são bastante confundidos. Conheça-os.

American Staffordshire TerrierEles podem ser tão parecidos que criadores experientes os confundem. "Não é para menos, o American Staffordshire Terrier e o American Pit Bull Terrier são, na verdade, um só cão que seguiu rumos diferentes", comenta Rangel Beker, que cria Staffordshires. Seu ancestral, o Staffordshire Bull Terrier, até hoje bastante criado na Inglaterra, surgiu de um trabalho feito por ingleses no início do século passado para criar um supercão de brigas contra touros - prática comum naquela época. Aliava a agilidade de alguns terriers com o físico poderoso e grande determinação para brigar do antigo Buldogue Inglês.

Levado logo aos Estados Unidos, o Staffordshire Bull Terrier passou por novos cruzamentos para aumentar de tamanho. Seus descendentes resultaram em exemplares de portes bem diferenciados. Criadores voltados para o temperamento de lutador destes cães, obtiveram o seu reconhecimento com o nome de American Pit Bull Terrier, em 1898, pelo UKC - United Kennel Club, uma entidade de influência local.

CAMINHOS

A expansão da cinofilia a partir do início deste século trouxe um novo objetivo para a criação: as exposições de beleza. Esta nova mentalidade faria surgir o American Staffordshire Terrier, resultado do trabalho de alguns criadores de Pit Bull interessados em aperfeiçoar a sua estrutura física e obter maior controle de seu temperamento. Para conseguir isso, evitaram cruzar as linhas de sangue mais ferozes, assim como as cores que indicavam recessividade por causarem problemas como despigmentação, surdez e cegueira. Assim, eliminaram da reprodução exemplares inteiramente brancos e os com olhos claros ou com nariz não preto, caso dos exemplares vermelhos de nariz vermelho. Preferiram, também, cruzar os de tamanho médio, já que os maiores lembravam mais os Pit Bulls iniciais cruzados com outras raças maiores, e os menores se assemelhavam ao ancestral Staffordshire Bull Terrier. Em 1936, os cães resultantes desta criação foram reconhecidos pelo AKC - American Kennel Club com o nome de Staffordshire Terrier (sem o "Bull" para diferenciá-los do ancestral inglês). Em 1972, receberam a denominação American Staffordshire Terrier e são agora reconhecidos também pela FCI - Federação Cinológica Internarcional.

O padrão oficial do American Staffordshire é, portanto, bem mais restritivo que o do Pit Bull, o qual não dá importância ao tamanho e aceita quaisquer cores (veja comparativo).

Enquanto um bom Pit Bull é valorizado pela coragem, agressividade, resistência, capacidade de lutar e morder, bons exemplares de American Staffordshire destacam-se pela coragem, temperamento confiável e estrutura física bem proporcionada e musculosa. "Para um Pit Bull, pouco importa a beleza ou perfeição estrutural, desde que vença seus oponentes. No aspecto obediência, o American Staffordshire deve largar a presa assim que ouvir determinado comando - reação impensável para um Pit Bull, talhado para morrer lutando, se preciso", diz Glenn Maciel, criador de American Staffordshires e Pit Bulls. Através de décadas de cruzamentos orientados de forma bem diferente, o temperamento dos American Staffordshires foi se afastando daquele do Pit Bull original. "Nos melhores canis dos EUA, o Pit Bull deve ser grande campeão para cruzar, o que significa vencer 5 combates com outros Pit Bulls", conta Narciso Alvarenga, que cria Pit Bulls e tem American Staffordshires. "Apesar de clandestinos, estes combates e seus vencedores são registrados por um jornal pirata, o Dog Journal, sendo os filhotes desses cães os mais recomendados para importação." Diferentemente dos cães em geral, um Pit Bull é capaz de lutar por horas. As provas são interrompidas pelo dono do cão em desvantagem, usando uma tala de madeira posicionada verticalmente na boca de ambos os participantes para impedi-los de continuar a morder. A fêmea também deve vencer pelo menos um combate antes de reproduzir.

Às vezes, até a fatalidade ajuda que os genes do melhor lutador prevaleçam. "Por uma infelicidade, um macho Pit Bull fugiu do canil e matou outro, o meu reprodutor na época", comenta Narciso. "O vencedor tornou-se o novo reprodutor oficial." Com todo este histórico e forte herança genética de lutadores, os melhores Pit Bulls dificilmente são derrotados pelos melhores American Staffordshires. Atualmente, há criadores de Pit Bull que estão selecionando a raça pela estrutura e há quem o crie apenas como cão de estimação.

DIFERENÇAS

American Staffordshires e Pit Bulls são devotados ao dono e a seus familiares. Quanto ao convívio com outros cães, inclusive os da própria raça, há variações conforme as linhagens. "Até mãe e filho brigam desde pequenos. Não dá para deixar um Pit Bull com outro, mesmo que seja um casal", afirma Glenn. Já a experiência de Renato Malta é um pouco diferente. "A mãe não briga com os filhotes e é possível ter dois Pit Bulls adultos, desde que convivam desde pequenos e sejam de sexo diferente." Quanto aos American Staffordshires, também não se pode definir um único comportamento. "Possuo quatro fêmeas e dois machos soltos, que convivem desde filhotes, e nunca brigaram", conta Glenn. Porém, esta regra não é geral. "Minha experiência é que os American Staffordshires brigam mesmo se acostumados desde filhotes, exceto se for um casal", relata o criador Dieter Weihermann. Na guarda, os dois possuem estilo de ataque determinado e mordedura das mais possantes. Como todos os terriers, são muito atentos e agem rapidamente. Atacam estranhos (pessoas, cães e outros animais) que invadam o seu território, não só para defendê-lo como também devido ao forte instinto de luta. Entretanto, há exemplares mais dóceis entre as duas variedades, sobretudo entre os Pit Bulls, que apresentam maior variação de temperamento. "Mas até estes preservam a inclinação genética para atacar", diz Glenn. Na rua, nenhum dos dois costuma atacar desconhecidos, inclusive os Pit Bulls de linhagens mais agressivas. "Isso só acontece se a pessoa esboçar um gesto ameaçador a eles ou a quem os estiver conduzindo", diz Guilhermo Thompson, criador de Pit Bull. Em casa, os dois podem conviver com visitas, desde que estejam habituados a isso desde pequenos.

Quem tiver um cão registrado como American Staffordshire Terrier poderá registrá-lo também como American Pit Bull Terrier (o inverso é impossível) nas entidades que aceitam o Pit Bull, todas norte-americanas. Além do UKC, o Pit Bull atualmente é reconhecido também pela ADBA - American Dog Breeders Association e o IKC - International Kennel Club, mas continua sem reconhecimento oficial internacional.

FICHA

Escolha do filhote: O American Staffordshire e o Pit Bull devem ser vivos, desinibidos, valentes, com os ossos pesados, peito saliente e largo, cabeça e traseira largos, cauda grossa, dorso reto, focinho curto (com cerca de 1/3 do comprimento do crânio). Para saber o temperamento e tamanho provável do adulto, verifique como são os pais.
Cuidado: muro alto é imprescindível (2,5m de altura).
Criadores: American Staffordshire - 1) Alberto Villalobos, Canil Villalobos's, Araranguá- SC, tel. (048) 522-0120; 2) Glenn Maciel, Canil Gameness, Porto Alegre - RS, tel. (051) 485-1245; 3) Rangel Beker, Canil Conventos, Araranguá - SC, tel.(048) 524-1546; 4) Dieter Weihermann, Canil Apple Flower's, Joenville - SC, tel. (0474) 22-6274; 5) Pedro Costa, Canil Von Frankenberg, Maceió - AL, tel.(082)231-0611.Pit Bull - 1) Guilhermo Thompson, Canil Thompson, Cotia - SP, tel.(011)492-7154; 2) Narciso Alvarenga Neto, Canil Pit Bull's Only, Belo Horizonte - MG, tel (031) 384-4092; 3) Renato Malta, Canil Campos de Malta, São Caetano do Sul - SP, tel. (011)743-1167; 4) Oleg Schevciw, Canil Star Rise, São Paulo - SP, tel. (011)572-3566.
Para ler: 1. This is The American Pit Bull Terrier, de Richard F.Stratton; 2. How to Raise and Train a Staffordshire Terrier , de Edwin E.Rosenblun; 3. The Staffordshire Terrier , American Staffordshire Terrier and Staffordshire Bull Terrier, de Anna Katherine Nicholas. Todos da TFH Publications, Neptune City, NJ, EUA.

Agradecemos aos entrevistados inclusive pela revisão técnica deste texto, feita também pelo juiz de todas as raças, José Peduti Neto.
Reportagem e redação: Mariana Viktor.Edição de texto: Marcos Pennacchi

Foto.: Luiz Henrique Mendes
Prop.: Canil Villalobo's


 

 

Horizontal Rule

Back Arrow


em@il: PETBRAZIL

Copyright © 1996-2009 PetBrazil. Todos direitos reservados. All rights reserved.
Cães & Cia seu site de estimação