Cães
Gatos
Aves
Outros

 

Google
 

DOGO ARGENTINO: VERSÁTIL GUARDIÃO

 

Com inúmeras habilidades, esta raça é ótima na guarda. Descubra porque.

Dogo Argentino surpreende. Reúne todas as características de um guardião completo. Na aparência, seu porte avantajado e musculoso, lhe confere um aspecto de poderio e certamente faz pensar duas vezes quem quiser invadir o seu território. A cor branca, típica da raça, permite sua rápida visualização mesmo no escuro. Isto funciona como fator intimidatório, pois o ladrão que é ladrão prefere uma casa sem cachorro. Mas, se mesmo com o seu tipo imponente, alguém resolver encará-lo que se prepare. Há poucas chances de vencê-lo. Destinado originalmente à caça de grandes animais como os pumas e javalis e também muito usado em rinhas, o Dogo é extremamente valente e combativo. Dono de grande agilidade e de uma possante musculatura nos posteriores, tem incrível força de propulsão para atacar, pular e sustentar a luta com o inimigo. Além disso, há dois motivos que tornam a sua mordida arrasadora. Primeiro, o músculo da mandíbula, responsável pela força e rapidez de fechar a boca, é extremamente desenvolvido (é por isso que o Dogo tem as típicas "bochechas" salientes). Segundo, quando abocanha dificilmente solta. Isso se dá porque os lábios, ao contrário de muitas raças, não são pendentes, permitindo que respire pelo canto da boca enquanto morde. Outra característica que o faz um excelente combatente é a pele grossa, que protege a musculatura do impacto de pancadas. Desta forma, ele sente menos dor. Na região do pescoço há uma proteção extra: a pele elástica e com rugas. Portanto, se tentarem segurá-lo por ali, a pele estica e ele consegue virar a cabeça e morder.

Acostumado desde as origens a caçar em áreas extensas, o Dogo tem o hábito de fazer a ronda, sendo capaz de atuar na guarda cobrindo qualquer território. Não importa o tipo de terreno. Para tanto, conta com almofadas plantares altas, bem carnudas, de sola muito áspera e com calosidades que permitem aliviar o impacto sobre o solo e até correr por locais ásperos e pedregosos, sem ferir-se.

É um cão rápido também na localização do inimigo, pois fareja alto pelo ar e com um olfato apuradíssimo, herança do Pointer. Ele usa, portanto, o vento e não o rastro no chão que implica numa maior perda de tempo. Consequentemente , o embuste de caminhar sobre trilhas diferentes, entrar na água etc para confundir o perseguidor, não adianta.

A raça é bastante atenta e silenciosa, já que durante as caçadas não devia alardear a presa. Um Dogo só costuma latir diante de uma agressão ao dono em situações de ameaça.

Por todas estas razões, a Polícia Federal da Argentina utiliza a raça como cão de patrulha e submete aos mais complexos treinamentos de ataque e obediência.

ERA UMA VEZ ...

O dogo foi desenvolvido na Argentina pelos irmãos Antônio e Augustin Nores Martinez, filhos de um eterno perdedor de lutas entre cães. Eles queriam fazer um cão imbatível tanto nas arenas quanto nas caçadas. Para isso, elegeram as melhores qualidades da raça encontradas em 10 raças, que foram usadas na sua formação: do Cão de Luta Cordobês, do Bull Terrier e do Bulldog Inglês herdou a resistência à dor e combatividade; do Dogue Alemão, a base estrutural; do Irish Wolfhound, a velocidade; do Boxer, o caráter equilibrado; do Pointer Inglês, o olfato apurado; do Dogue de Bordeaux, a possante mordedura e do Mastim do Pirineus e do Cão dos Pirineus, o tamanho e rusticidade, entre outras qualidades.

Em 1928, foi redigido o primeiro padrão da raça.

VERSÁTIL

Porém, o Dogo é mais do que um guarda de primeira. Herdou as melhores qualidades das raças que o originaram. Superversátil, o próprio padrão comenta a sua utilidade em diversas outras funções, como a caça, rinha, guia de cego e cão de busca e salvamento.Companheiro dedicado e obediente, mostra-se totalmente submisso às vontades do dono e da família com quem convive.
O livro Todo a Cerca Del Dogo Argentino, chega a comentar que quando Dogo faz algo que não agrada ao mestre e é castigado, deita aos seus pés e jamais reage à punição. Além disso, tem uma notável capacidade de aprendizado. Entende tanto ordens verbais quanto gestos.É do tipo ultrapaciente com crianças.
"Deixo tranqüilamente meu filho de 3 anos e minha filha de 9 meses sozinhos no jardim junto aos Dogos", conta Ana Paola Cordi, do Canil Luna del Kilimanjaro, Curitiba - PR. "Eles ficam atentos, circulando ao redor das crianças", completa.A raça não permite que nenhum intruso invada o território, mas respeita o que estiver devidamente acompanhado do dono, como as visitas.
Ao contrário de alguns cães de rinha, o Dogo convive bem com outras raças. No entanto, o macho só aceita compartilhar o mesmo espaço com fêmeas.


em@il: PETBRAZIL

Copyright © 1996-2009 PetBrazil. Todos direitos reservados. All rights reserved.
Cães & Cia seu site de estimação