Cães
Gatos
Aves
Outros

 

Google
 

SCOTTISH: CAÇADOR DE CORPO E ALMA

Back Arrow  

O Scottish Terrier é um exemplo do magnífico trabalho dos criadores no desenvolvimento de cães com habilidades específicas.

Scottish TerrierEle ficou conhecido no mundo como o ilustre cãozinho preto dos rótulos de uísque escocês. Mas, muito antes disso, no século XVIII, este baixinho de barbicha já se destacava nas colinas escocesas como exímio caçador em tocas, capaz de farejar o esconderijo de suas presas, cavar a terra abrindo a entrada e, então, matá-las. Assim, eliminava com destreza predadores como raposas, texugos, furões e doninhas.

TERROR

As qualidades físicas e temperamentais que fazem do Scottish Terrier o terror dos moradores das tocas, se mantêm. A maioria delas está incorporada nos padrões oficiais da atual cinofilia, em seu esforço de preservar as características das raças.

As pernas curtas, que sustentam o corpo forte e lhe dão o aspecto de baixinho atarracado, são essenciais para que entre numa toca e nela se movimente. O padrão descreve as pernas de trás como "notavelmente poderosas para o talhe da raça". Não é à toa. Ele as finca no chão para permitir que as dianteiras cavoquem a terra com maior eficiência e as usa para arrastar a presa já morta para fora, de "marcha à ré", pois normalmente na toca não há espaço para dar a volta.
Peculiares a um cavador, as patas da frente são maiores que as de trás, possibilitando que retire mais terra.
O pescoço bem musculoso facilita levantar uma presa grande, até maior que ele, como a raposa.

Por mais incrível que pareça, esse pequeno Terrier é dono de um dos maiores dentes caninos entre todas as raças, o que funciona como poderosa arma nas lutas contra os silvestres.

A cauda empinada, além de graciosa, tem sua utilidade. Grossa na raiz e inserida num lombo musculoso, favorece que o Scottish seja puxado por ela, para fora da toca, em uma emergência.

A pelagem é outra aliada. Tem uma camada de óleo na superfície que dificulta a infiltração da água e da neve, fazendo-as escorrer para os lados. O subpêlo denso auxilia nessa função e o ajuda a sentir menos as variações de temperatura. Os tufos de pêlo dentro das orelhas evitam a entrada da terra ao cavar. Os olhos também ganham este tipo de proteção graças a sombrancelhas, bem cheias e projetadas para a frente. Já quando ele dá, literalmente, de cara com o inimigo na toca, a charmosa barba e bigode "amortecem" as mordidas, que não alcançam a pele.

ALMA

Complemento perfeito do seu físico, o temperamento ativo e corajoso o faz disposto a descobrir o esconderijo da presa e a adentrar terra abaixo, sem conhecer exatamente o tamanho e a ferocidade do adversário com quem travará uma luta de morte. Esta grande valentia, que está sempre pronto a exercer, pode também ser um complicador na convivência com outros cães.
Os machos, por exemplo, são geralmente briguentos e só aceitam a companhia de fêmeas.

Outra capacidade do Scottish é perceber qualquer ruído estranho. Isso se deve à audição muito aguçada e que possibilita saber, até mesmo pelo som da respiração da presa, se ela está na toca. Caso se baseasse apenas no faro poderia ser enganado porque a moradia dos animais fica com o cheiro deles, mesmo quando desabitada.
Este mesmo ouvido apurado e seu espírito atento o tornam um ótimo cão de alarme.

Em casa, afastado da natureza, é possível observar o seu instinto de "toqueiro", sempre à flor da pele. O Scottish elege um lugar escondido, como embaixo de um sofá, e faz dele a sua "toca". É para lá que leva os brinquedos e se refugia quando quer sossego. Porém, se existir um jardim por perto, ele adorará cava-lo e será preciso educá-lo desde filhote para que não faça este tipo de "travessura", tão compreensível em se tratando de um caçador nato de tocas.

FICHA

Compra do filhote: veja se o comprimento do focinho é o mesmo que o do crânio. O comprimento das pernas é menor que a distância da cernelha (parte mais alta do dorso, onde de encontra com o pescoço) ao externo (osso dianteiro do peito). As pernas do chão ao cotovelo devem ser mais curtas que a medida do cotovelo à cernelha. A cauda é ereta ou levemente inclinada, nunca encostando na linha superior .
As orelhas nascem dobradas e levantam entre 4 a 6 meses.

Cuidados: a primeira tosa é feita aos 6 meses e a manutenção a cada cerca de 90 dias. Não se cortam os pêlos do peito, saias laterais, patas, bigode, barba, sombrancelha e interior das orelhas.
Tamanho: altura, 25,4cm . Peso, 8,6 a 10,4 Kg.
Base: dados técnicos desse texto baseados no padrão CBKC, nº 073 de 23/4/94 ( tradução do padrão FCI nº 73c de 24/ 6/87 ).
Para ler: The New Complete Scottish Terrier, de John T. Marvin, Howell Book House, New York-EUA.

Agradecemos à consultoria da cinóloga Hilda Drumond e as entrevistadas Maria Cristina Toledo, do Coral Gobles Kennel, São Paulo-SP e Eufélia B. Queiroz de Moraes, do Canil Dunvegan, São Paulo-SP, inclusive pela revisão desse texto feita também por José Peduti Neto,juiz all rounder pela CBKC.
Reportagem e redação: Flávia C. Soares. Edição de texto: Marcos Pennacchi.

Foto: Arnaldo Bento
Prop.: Kennel Saguaro - SP

 

Horizontal Rule

Back Arrow


em@il: PETBRAZIL

Copyright © 1996-2009 PetBrazil. Todos direitos reservados. All rights reserved.
Cães & Cia seu site de estimação